Uncategorized

Retrospectiva 2020: um grande desafio para a saúde

Definitivamente 2020 foi um ano muito atípico. Para o setor de saúde foi um período de grandes desafios e transformações, e durante todo esse período a E-VAL Saúde teve participação direta, promovendo inovação e muita tecnologia para instituições, profissionais de saúde e pacientes. Nossa retrospectiva 2020 mostra como este ano tivemos importantes mudanças.

Praticamente a pandemia de Covid-19 será a base da retrospectiva 2020. A partir dela, organizações médicas e diferentes especialistas passaram por uma forte adaptação  visando garantir o atendimento aos pacientes e a gestão de hospitais e clínicas médicas, em situações muito mais adversas no qual eles estavam acostumados.

Retrospectiva 2020, um ano de transformações, inovação e muita tecnologia

Covid-19

A atual crise global que vivemos hoje foi algo que nunca vimos nos últimos anos. A pandemia surge como algo transformador, mas que infelizmente nos trouxe uma dura realidade que impactou toda a sociedade, o segmento médico foi um dos mais impactados nesse período tão difícil.

Com a crise sanitária criada pelo Covid-19, aceleraram-se transformações que estavam acontecendo lentamente não só no Brasil, mas em todo o mundo. Além de usar a dedicação e experiência dos profissionais de saúde, as instituições médicas quebraram velhos paradigmas e incorporaram de vez a tecnologia como ferramenta para salvar vidas.

Toda essa fase de adaptação foi retratada em nosso blog. A E-VAL Saúde, através de soluções de alta tecnologia, auxiliou profissionais e instituições médicas nessa fase de transição, garantindo proteção e segurança a todos.

Telemedicina

A Lei Nº 13.989 de 15 de abril de 2020 autorizou o uso da telemedicina enquanto durar a crise ocasionada pelo coronavírus. Além disso, a legislação definiu orientações feitas pela ANVISA quanto ao uso da receita médica eletrônica para a venda de medicamentos controlados, o que demonstrou o importante avanço e aceitação do recurso da tecnologia em benefício da saúde. E por essa razão, tem destaque em nossa Retrospectiva 2020.

A prestação remota de serviços de saúde vem disponibilizando serviços médicos necessários para comunidades remotas, fornecendo atendimento de rotina aos pacientes sem precisar viajar ou tirar folga do trabalho. 

Os serviços de monitoramento remoto, por exemplo, tem ajudado pacientes idosos e doentes crônicos a permanecerem mais saudáveis ​​enquanto estão em suas casas. 

A prestação de serviço de telemedicina segue atualmente os padrões normativos e éticos semelhantes aos utilizados no atendimento presencial, onde o médico deve informar ao paciente todas as limitações inerentes ao uso da tecnologia aplicada à medicina, tendo em vista a impossibilidade de realização de exame físico durante a consulta.

Para proteger pacientes e instituições de saúde, os provedores de telemedicina devem fornecer serviços por meio de aplicativos que usam criptografia de ponta a ponta e outras tecnologias de segurança para impedir o roubo ou a violação de informações.

A prestação remota de serviços de saúde mostrou seu enorme potencial para melhorar a qualidade e os custos dos cuidados médicos, desde questões médicas de rotina até serviços de saúde mental e tratamento de condições crônicas. 

Lei 14.063/20

Basicamente, a Lei 14.063/20  visou simplificar e acelerar os procedimentos da administração pública, em todas as esferas, bem como reduzir contato presencial em grande variedade de transações, mas ainda garantindo a segurança jurídica ao uso de assinaturas eletrônicas em diversos documentos públicos e oficiais.

A nova legislação também estabeleceu regras e procedimentos para o uso de cada tipo de assinatura no âmbito dos órgãos e entidades da administração pública e instituições de saúde, tendo como parâmetros os níveis de risco da documentação, informação ou serviço específico que é assinado.

Entre os seus diversos benefícios, as assinaturas eletrônicas garantem que as assinaturas sejam verificadas, autenticadas e legitimadas. Os recursos de segurança incorporados nas assinaturas eletrônicas certifica que os documentos não foram alterados sem autorização, o que no âmbito médico é de extrema importância. 

Com a Lei 14.063/20, tivemos importantes mudanças no uso das assinaturas eletrônicas que beneficiaram instituições de saúde, governo e principalmente, os pacientes.

A Lei 14.063/20 foi um importante avanço para instituições de saúde públicas e privadas, e por isso, não poderia passar em branco em nossa Retrospectiva 2020.

O uso de assinatura eletrônica é uma grande mudança que pode levar hospitais, sejam eles públicos ou privados, a novos patamares. 

A adoção da assinatura eletrônica e a implementação de soluções sem papel fizeram com que todo o processo de assinatura ocorresse online, portanto, seja qual for a localização dos pacientes ou equipes, não importa. 

Os documentos são enviados online de forma segura e assinados com a assinatura eletrônica em poucos minutos ou mesmo segundos, sem qualquer espera ou demora de dias e semanas, e finalmente devolvidos online de forma segura. 

CONFIRA ACESSANDO O LINK ABAIXO:

Lei 14.063/2020 aplicada às instituições de saúde: como era antes e como será agora

LGPD

Aprovada pelo governo brasileiro, a Lei Geral de Proteção a Dados (LGPD) entrou em vigor em 2020 com o objetivo de garantir a privacidade de cada cidadão. Seus requisitos se aplicam a todas as organizações que lidam com as informações de pessoa física.

Para a gestão hospitalar, a LGPD definiu como hospitais deveriam implementar as boas práticas de governança em seus processos e controles com o objetivo de reduzir riscos de vazamentos ou perda de informações dos pacientes.

Na prática, a Lei Geral de Proteção de Dados regula de forma rigorosa todo o ciclo de vida de dados pessoais sensíveis. Ela aborda as maneiras seguras para coleta, processamento e descarte desse tipo de informações. 

Nesse sentido, um grande problema enfrentado pelas instituições de saúde é a quantidade e diversidade de dados usados, como, por exemplo, registros financeiros, informações de seguro saúde e resultados de exames.

Ou seja, o tratamento de informações pessoais passa a ocorrer de forma muito clara, assim como a permissão para o uso desses dados. Além disso, os motivos para a coleta e uso devem ser objetivos e de fácil compreensão. Por fim, o uso de anonimização é altamente recomendado, pois se trata de uma maneira simples e muito eficaz de garantir adequação a boa parte dos requisitos exigidos pela LGPD.

CONFIRA ACESSANDO O LINK ABAIXO:

Como Adequar sua instituição de saúde à LGPD

A garantia da proteção de dados foi fundamental em um ano tão difícil 

Para fecharmos a nossa retrospectiva 2020, vale destacar a importância da proteção de dados durante esse período tão difícil que estamos vivendo.

Assim como garantir a vida humana, proteger a privacidade das informações de saúde e dos registros médicos deve ser uma das principais prioridades do setor de saúde sempre. 

E isso deve ocorrer não apenas pela pandemia de Covid-19, pelas novas legislações ou por conta do impacto das violações de dados, mas principalmente, pelo respeito que deve existir aos pacientes e profissionais de saúde que dependem da segurança de seus dados em suas vidas.

Os hospitais e outras instituições do setor de saúde devem garantir a proteção das informações médicas de seus pacientes durante todo o ciclo de vida do atendimento e o período necessário de armazenamento, sempre de acordo com LGPD e todas as demais legislações vigentes que definem requisitos exigidos pela gestão adequada dos registros médicos.

Os possíveis usos indevidos dos dados de pacientes vão desde a venda de curas milagrosas falsas a pacientes desesperados até chantagens criminais. Qualquer que seja o futuro, as inovações em segurança na saúde precisam passar pela adesão das leis que destacam a proteção e privacidade de dados, a exemplo da LGPD e aos padrões de criptografia, que fazem com que dados confidenciais sejam criptografados até que um destinatário com uma chave privada possa desbloquear as informações.

O compromisso da E-VAL Saúde é garantir, com uso de tecnologia de ponta e inovação, contribuir para que profissionais, instituições médicas e pacientes tenham a segurança necessária de seus dados em qualquer momento de suas vidas, seja eles de enfermidade ou em seu cotidiano. 

CONFIRA ACESSANDO O LINK ABAIXO:

As 5 maiores tendências tecnológicas que transformarão medicina e saúde em 2020

E-VAL Saúde, uma empresa do Grupo E-VAL

A E-VAL Saúde é uma empresa especializada em certificação digital, segurança da informação, com foco em assinatura digital, autenticação e proteção de dados, em especial para assinatura digital de prontuários eletrônicos do paciente, gerenciamento eletrônico de documentos e demais documentos de seu hospital, operadora, laboratório ou clínica. A E-VAL Saúde tem mais de 10 anos de experiência no mercado da saúde.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Saúde terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança do seu hospital, operadora, laboratório ou clínica.