Proteção de Dados

Proteção a vazamento de dados em 6 passos simples

Já faz algum tempo que casos de vazamento de dados aparecem nos principais veículos de mídia. O mais emblemático deve ter sido aquele que envolveu o Facebook e a Cambridge Analytica. Em decorrência desse fato, Mark Zuckerberg (CEO e fundador da rede social) prestou esclarecimentos até no congresso norte-americano.

Com isso vemos o quanto estamos vulneráveis. Além disso, também pudemos observar durante esse tempo como um vazamento de dados pode afetar as nossas vidas e empresas.

Infelizmente, agora esse risco faz parte da nossa sociedade, mas há ações simples que podem reduzir a chance de vazamentos ocorrerem. Ainda assim, caso isso aconteça, existem maneiras de minimizar os impactos para pacientes.

Conscientização é o primeiro passo para reduzir o vazamento de dados

O primeiro passo é a conscientização. Ainda há algumas instituições de saúde que não dão a devida atenção à segurança de dados, principalmente por causa da necessidade de investimentos em tecnologias e processos. Entretanto, esse é um erro de estratégia.

As instituições médicas lidam com informações muito valiosas, e com o avanço da transformação digital cada vez mais dados devem ser coletados e transferidos de um lugar a outro. Dessa forma, investir em segurança da informação é crucial.

É importante frisarmos que os vazamentos de dados são incidentes que expõe sem autorização informações confidenciais ou protegidas. Eles prejudicam pacientes e causam prejuízos tanto às finanças quanto à imagem das instituições.

O roubo de dados pode envolver informações pessoais de pacientes, informações confidenciais da instituição ou propriedade intelectual. Vazamentos em organizações médicas podem conter:

  • Identificadores pessoais, como CPF e identidade;
  • Histórico médico de pacientes, incluindo registros de doenças graves;
  • Informações relacionadas a convênios ou formas de pagamento, como números de cartão de crédito;
  • Informações corporativas;
  • Código-fonte de software.

Como evitar violações e roubo de dados

Entendemos que pode parecer estranho para nós que trabalhamos com tecnologia, mas não há nenhum produto ou controle de segurança capaz de impedir violações de dados. Então você pode se perguntar: afinal, por que existem tantos hardwares e softwares feitos especificamente para segurança cibernética?

A forma mais eficiente de impedir violações e roubos de dados é através de boas práticas e com noções simples de segurança. É fundamental:

  • Realizar testes contínuos de vulnerabilidade e penetração;
  • Aplicar proteções, como processos e políticas de segurança;
  • Adotar senhas fortes;
  • Utilizar um hardware de armazenamento seguro de chaves;
  • Contar com um hardware para o gerenciamento de chaves e proteção de dados;
  • Aplicação consistente dos patches de software para todos os sistemas.

Essas etapas ajudam a evitar problemas, mas especialistas em segurança da informação — como os especialistas da E-VAL Saúde — incentivam o uso de criptografia de dados, certificados digitais e autenticação dentro do conjunto de boas práticas recomendadas.

Os outros 5 passos para você evitar o vazamento de dados

Cada vez mais vemos a adoção de aplicativos e do armazenamento de dados em nuvem, o que aumenta também a preocupação com o vazamento e roubo de dados.

Dessa forma, a computação em nuvem se tornou a principal infraestrutura de TI adotada pelas instituições. Com o avanço da telemedicina essa característica tende a se acentuar.

Tenha um plano de resposta caso ocorra um vazamento de dados

É possível para qualquer instituição ter excelentes níveis de segurança tanto da estrutura física quanto da digital. Entretanto, nos dois casos não há como ter uma garantia de que absolutamente nada acontecerá. Por isso, a elaboração de um plano de resposta a vazamento de dados é importante.

O plano deve conter um conjunto de ações para que, caso ocorra um vazamento, o impacto seja o menor possível.

A elaboração do plano de resposta deve ter etapas bem definidas para servirem de base à elaboração das suas políticas e processos de segurança. O plano precisa abordar aspectos como:

  • Análise de impacto nos atendimentos;
  • Métodos para recuperação de desastre;
  • Identificação dos dados sensíveis da organização;
  • Definição de ações para proteção com base na gravidade do impacto de um ataque;
  • Avaliação de riscos do seu ambiente de TI e identificação de áreas vulneráveis;
  • Análise da atual legislação sobre violação de dados;
  • E outros pontos críticos.

Citamos alguns pontos, mas um plano de resposta a vazamento de dados aborda outras áreas que também servem de base para a construção das políticas de segurança.

Lembre-se: estamos considerando as infraestruturas de nuvem como uma realidade que se tornará padrão. Dessa forma, é importante que você crie o plano de resposta a vazamento de dados junto com o fornecedor da solução de nuvem.

É comum os serviços de nuvem já contarem com recursos e características que auxiliam no planejamento e na execução de um plano como estamos abordando neste artigo.

A política de segurança da informação deve considerar a proteção de dados

Uma política de segurança geralmente é considerada um “documento vivo”, o que significa que ela nunca é concluída, sendo continuamente atualizada à medida que os requisitos de tecnologia e estratégias da instituição mudam. Ela deve conter a descrição de como a organização realiza a proteção dos seus ativos e dados.

A política de segurança também explica como procedimentos de segurança devem ser executados. Além disso, ela contém os métodos parar avaliar a sua própria eficácia e como serão realizadas as correções necessárias que surgirem.

Outra parte importante das políticas de segurança é um termo de responsabilidade para ser assinado pelos colaboradores, a fim de que também se comprometam com a segurança das informações da instituição e o não vazamento de dados.

Talvez você já tenha percebido uma característica em comum entre o plano de resposta a vazamento de dados e a política de segurança: ambos são documentos amplos, com vários pontos, mas no caso da segunda, não discorreremos os detalhes neste artigo.

Garanta treinamentos às equipes

Treinamentos são fundamentais para evitar vazamento de dados. A capacitação de funcionários aborda a segurança em vários níveis:

  • Mostrar condições com potencial para causar vazamento de dados, como técnicas de engenharia social;
  • Garantir a criptografia dos dados sempre que ações forem tomadas conforme as políticas de segurança;
  • Certificar que os processos sejam sempre dinâmicos e automáticos para estar sempre em conformidade com as legislações;
  • Conscientizar todos os profissionais da instituição sobre a importância da segurança da informação.

Boas ferramentas são importantes para evitar vazamentos de dados

Nas arquiteturas de nuvem feitas para empresas é obrigatório ter ferramentas que visem a segurança da informação armazenada na solução. É importante contar com ativos de hardware e software e ferramentas para:

  • Controlar e monitorar o acesso à informação;
  • Proteger dados em movimento (canal SSL/TLS), dados em repouso (em banco de dados e arquivos) e dados em memória;
  • Prevenção à perda de dados (DLP).

Essas ferramentas são fundamentais para bloquear que informações confidenciais deixem o sistema. Dessa forma reduzem o risco de vazamento de dados gerenciados em nuvem.

Realize teste em todas as áreas de risco

Chegamos à última dica, que deve ser uma das mais delicadas de todas por conta das validações dos planos e das políticas de segurança.

As instituições precisam de auditorias profundas a fim de garantir que tudo aquilo que foi planejado funcione da melhor maneira possível, e que não haja espaço para o aparecimento de erros.

Entretanto, a aplicação dos procedimentos que explicamos não é simples com a instituição funcionando normalmente. Assim, é também importante planejar corretamente os testes, de maneira que os atendimentos não sejam afetados. Essa é uma ação crucial para a prevenção a vazamento de dados, não podendo ser deixada de lado ou executada sem a devida atenção.

Por fim, os passos descritos no artigo certamente vão ajudar sua organização na prevenção de incidentes de segurança. Apesar de uma aparente complexidade é plenamente possível adotá-los e ter sucesso na prevenção ao vazamento de dados.

E-VAL Saúde, uma empresa do Grupo E-VAL

A E-VAL Saúde é uma empresa especializada em certificação digital, segurança da informação, com foco em assinatura digital, autenticação e proteção de dados, em especial para assinatura digital de prontuários eletrônicos do paciente, gerenciamento eletrônico de documentos e demais documentos de seu hospital, operadora, laboratório ou clínica. A E-VAL Saúde tem mais de 10 anos de experiência no mercado da saúde.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Saúde terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo assim para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança do seu hospital, operadora, laboratório ou clínica.