Dicas Rápidas

Cloud ou infraestrutura própria?

Cada vez mais empresas pagam a provedores de Cloud (nuvem) taxas mensais de assinatura para acesso a infraestruturas, plataformas e aplicativos que, muitas vezes, não são viáveis financeiramente ou estrategicamente para uma aquisição direta.

Já faz um bom tempo que o mercado de Cloud Computing está aquecido. Afinal esse tipo de infraestrutura de TI é considerada um diferencial no mercado quando se fala em Transformação Digital. Ela é responsável por muitas inovações tecnológicas nas empresas.

Isso acontece principalmente porque as companhias podem obter praticamente qualquer coisa, como um serviço (XaaS). Com isso, as organizações  procuram os serviços de nuvem com a esperança de reduzir as despesas de TI. Além de buscarem aumentar a eficiência, a produtividade e a segurança.

Porém, em algumas situações, os serviços em nuvem podem custar muito mais do que uma infraestrutura própria. Neste caso, eles não proporcionam a eficiência estratégica esperada.

É preciso ter certeza de que a escolha entre Cloud e infraestrutura própria será capaz de atender às necessidades da organização, gerando todos os benefícios esperados.

Uma infraestrutura de TI deve alcançar os resultados estratégicos esperados

Ao pensar sobre as diferenças entre TI local e Cloud, deve-se considerar primeiro o que entendemos por infraestrutura de tecnologia.

Dependendo do negócio, o serviço de nuvem pode ficar em um ou vários locais. Além disso, também pode compor-se por uma variedade de hardwares e softwares, incluindo servidores, computadores ou bancos de dados.

Para algumas empresas — principalmente as maduras e/ou com muita integração entre sistemas —, a decisão de mover o seu parque computacional para a Cloud é complexa.

Em alguns casos, por exemplo, o resultado de uma análise mais detalhada pode levar de volta à infraestrutura própria ou descartar, ainda em fase de planejamento, a possibilidade de sair do seu próprio Data Center para a nuvem.

Certamente isso não quer dizer que os serviços de Cloud não valem a pena. Os benefícios de não ter que investir em um produto e evitar todas as despesas que acompanham a manutenção e o gerenciamento são bons motivos para fazer a migração da infraestrutura.

Então, Cloud é melhor que infraestrutura própria?

A diferença entre infraestrutura própria e Cloud é essencialmente onde esses hardwares e softwares residem. Um Data Center significa que uma empresa mantém todo esse ambiente de TI em um lugar gerenciado pelo seu próprio time de tecnologia ou por terceiros.

Já no ambiente Cloud significa que está alojado fora do local com outra pessoa responsável por monitorá-lo e mantê-lo.

Os serviços de nuvem se destacam por flexibilidade, confiabilidade e segurança. Com isso, eles podem eliminar o incomodo relacionado à necessidade de manter e atualizar os próprios sistemas. Assim é possível investir tempo, espaço e dinheiro nas suas principais estratégias de negócios.

Embora possa estar claro que a nuvem oferece uma gama de benefícios, cada empresa tem suas prioridades e objetivos.

Portanto, mais uma vez, é fundamental avaliar os benefícios e os riscos da escolha entre infraestrutura própria e Cloud. Certamente, quando se trata de dados mais críticos da organização é vital fazer a escolha certa.

Segurança deve ser o diferencial na escolha pela infraestrutura

Quando se pensa em segurança com o uso de infraestrutura própria, muitas vezes leva-se em consideração empresas que lidam com informações confidenciais, como os setores bancário e governamental.

Nesses segmentos, um certo nível de privacidade fornecido por um ambiente local pode ser estratégico para as operações de negócios. Apesar dos avanços da computação em nuvem, a segurança ainda é a principal preocupação de muitos setores. Portanto, uma infraestrutura própria, apesar de alguns inconvenientes e preços, pode fazer mais sentido.

Por outro lado, a segurança na nuvem deixou de ser há muito tempo a principal barreira para uma migração. Muitas das preocupações relacionadas às violações e roubos de dados foram superadas pelos investimentos em tecnologia e serviços de ponta realizados pelas provedoras de Cloud.

Conformidade impacta na alternativa a ser escolhida

Muitas empresas operam sob alguma forma de controle, independentemente do setor de atuação. A conformidade exigida pela Lei de Portabilidade e Responsabilidade de Seguro Saúde (HIPAA) ou pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) pode impactar na escolha do ambiente.

Para empresas que estão sujeitas a tais regulamentações, é imperativo que permaneçam em conformidade e saibam onde os seus dados são gerenciados, com base na segurança e em concordância com os órgãos regulatórios.

Ao escolherem entre modelos de infraestrutura de TI, Cloud ou próprio, as empresas devem realizar auditorias visando garantir que seus fornecedores, tanto terceirizados quanto locais, estejam em conformidade com todas as diferentes exigências normativas dos setores nos quais operam.

Como você sabe, dados confidenciais devem ser protegidos. Além disso, clientes, parceiros e funcionários precisam ter as suas privacidades asseguradas.

Modelos híbridos podem ser o melhor caminho

Embora o debate sobre os prós e contras de uma infraestrutura própria e de um ambiente de Cloud seja real, há outros modelos que oferecem o melhor dos dois mundos.

Uma solução híbrida consiste em elementos de diferentes modelos de implantação de TI, como nuvem privada e nuvem pública.

Uma infraestrutura híbrida depende da disponibilidade de uma plataforma de nuvem ou um Data Center confiável de terceiros e uma nuvem privada construída no local ou por meio de um provedor hospedado, além de conectividade de WAN efetiva entre esses dois ambientes.

Na prática, temos como exemplo a solução MADICS da E-VAL Saúde. O nosso serviço representa uma vantagem para o cliente, que pode contar com garantias de disponibilidade, velocidade de implantação, gerenciamento dos recursos e backup das informações, como chaves de criptografia e registros de operação do sistema, independentemente do modelo escolhido de infraestrutura.

Toda empresa bem-sucedida precisa de uma infraestrutura escalonável, que possa suportar integração para qualquer ambiente de forma rápida, segura e atendendo de ponta a ponta todos os requisitos de segurança e conformidade nos seus ecossistemas dinâmicos.

A E-VAL Saúde é uma empresa especializada em certificação digital, segurança da informação, com foco em assinatura digital, autenticação e proteção de dados, em especial para assinatura digital de prontuários eletrônicos do paciente, gerenciamento eletrônico de documentos e demais documentos de seu hospital, operadora, laboratório ou clínica. A E-VAL Saúde tem mais de 10 anos de experiência no mercado da saúde.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Saúde terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança do seu hospital, operadora, laboratório ou clínica.