Proteção de Dados

7 dicas para manter a proteção de dados da sua instituição de saúde

Sempre destacamos em nosso blog que as instituições de saúde possuem uma quantidade muito grande de dados sensíveis armazenados em seus sistemas. Além disso, com o avanço da transformação digital e da telemedicina, a tendência é que existam cada vez mais informações digitais sob a guarda dessas organizações.

Esses avanços são fundamentais para a realização dos atendimentos e tratamentos médicos, entretanto eles requerem muito cuidado com as ameaças de cibercriminosos. Contar com diferentes camadas de segurança é o melhor caminho para evitar vazamentos de dados. Esse tipo de problema pode causar prejuízos financeiros e de imagem às instituições afetadas, além disso também existe a grande possibilidade de se enfrentar ações judiciais obrigando as instituições a pagarem indenizações às vitimas, aumentando assim os prejuízos.

Em suma, manter as informações seguras é fundamental para as instituições de saúde hoje. Para te ajudar com esse desafio nós fizemos uma lista com 7 dicas valiosas para manter sua organização segura.

1. Atualizações de software redefinem padrões de segurança de dados

Entendemos que atualizações de softwares podem parecer uma chateação em determinados momentos, mas elas são muito importantes. O motivo é simples: muitas vezes essas atualizações são feitas a fim de manter os sistemas seguros. Ameaças de hackers e malwares estão em constante evolução, dessa forma é fundamental evoluir também os mecanismos de segurança.

Softwares desatualizados tendem a ficar cada vez mais vulneráveis a ataques, por tanto não deixe de garantir todas as atualizações necessárias aos softwares da sua instituição e auxilie os demais profissionais para que isso tenha o menor impacto possível no trabalho deles.

2. Tome cuidado com os e-mails da instituição

Sabia que os e-mails são um dos principais caminhos para ataques às organizações de qualquer área? O destaque vai para os casos de ransomware, em especial os que envolvem phishing.

E isso anda acontecendo mesmo durante a pandemia. Hospitais lutam contra o COVID-19 e contra o Ransomware

Esse tipo de ameaça segue crescendo sem sinais de desaceleração, assim obtenha proteções extras para o servidor de e-mails utilizado pela sua instituição. Além disso, evite circular informações sensíveis por e-mail e promova treinamento para que os demais profissionais da organização adotem a mesma postura.

3. Falando em treinamento…

Há casos em que instituições investem em processos e soluções, mas acabam esquecendo de investir nas pessoas. Entretanto, fornecer treinamento para que os funcionários conheçam as melhores formas de prevenir ameaças e identificar e-mails maliciosos é essencial. Geralmente os treinamentos se mostram como o investimento mais rápido e barato para segurança de dados.

4. Proteger a infraestrutura requer atenção

Atualmente as informações importantes das organizações ficam salvas em diversos lugares. Computadores, servidores, smartphones, tablets e nuvem são os meios mais utilizados para armazenamento de dados. Dessa forma é importante garantir a segurança de todos esses dispositivos para que não exista nenhuma brecha de segurança na sua instituição.

5. Conte com criptografia de dados

Como lembramos anteriormente, a saúde é uma das áreas mais valiosas para os cibercriminosos por conta das informações sensíveis que possui. Por isso a segurança nesse caso é primordial.

A criptografia é a melhor aliada que as instituições médicas podem ter, afinal as informações criptografadas não podem ser lidas por pessoas sem autorização. Ou seja, mesmo que um ataque chegue aos dados, os hackers não conseguirão sequer saber o que contém nos arquivos.

6. Tenha diversas camadas de proteção de dados

Para garantir uma proteção de dados eficiente é importante contar com diferentes mecanismos de defesa. Dessa forma, não deixe de utilizar antivírus, anti-spam e firewalls. Além disso, cuide dos usuários cadastrados na rede interna, adote senhas fortes e se possível troque-as com regularidade — essas três medidas simples fazem muita diferença para qualquer instituição.

7. Tenha um plano de recuperação e conte com backups

Tenha um DRP (Disaster Recovery Plan), um plano de recuperação de desastres. Essa dica pode chamar atenção no final do artigo, mas saiba que ela é muito importante. Mesmo tomando todos os cuidados necessários e seguindo as nossas recomendações, não existe nenhum meio absolutamente seguro para evitar vazamentos de dados. Dessa forma, tenha um bom plano pronto com os procedimentos que devem ser tomados caso o pior aconteça e a instituição precise se recuperar do ocorrido.

Por fim, nunca deixe realizar backups das informações, para que elas não sejam perdidas para sempre e também possam ser facilmente recuperadas. Aqui nós sugerimos que você utilize uma regra chamada 3-2-1 que funciona da seguinte forma: crie três backups em duas mídias diferentes, sendo que uma delas deve ser armazenada em um local diferente, como na nuvem por exemplo.

E-VAL Saúde, uma empresa do Grupo E-VAL

A E-VAL Saúde é uma empresa especializada em certificação digital, segurança da informação, com foco em assinatura digital, autenticação e proteção de dados, em especial para assinatura digital de prontuários eletrônicos do paciente, gerenciamento eletrônico de documentos e demais documentos de seu hospital, operadora, laboratório ou clínica. A E-VAL Saúde tem mais de 10 anos de experiência no mercado da saúde.

Fale conosco, os especialistas da E-VAL Saúde terão o maior prazer em atendê-los, contribuindo para o desenvolvimento dos seus projetos e a melhoria contínua da segurança do seu hospital, operadora, laboratório ou clínica.